Governo de Goiás

INOVA GOIÁS - Programa de Inovação e Tecnologia do Estado de Goiás

Procure o que você precisa:
Notícias
Campanha de vacinação contra febre aftosa entra na reta final. Prazo termina dia 15
11/06/2018 09h18

Faltando apenas uma semana para ser concluída, a etapa de maio da campanha de vacinação contra a febre aftosa entra na reta final e os pecuaristas devem ficar atentos para não perder o prazo. Por causa da greve dos caminhoneiros, o período de vacinação foi estendido até dia 15 deste mês, sexta-feira da próxima semana. A medida foi determinada pela Agrodefesa por meio da Portaria número 379/2018, após autorização do Ministério da Agricultura, em atendimento ao pleito do Governo de Goiás, que alegou dificuldades na distribuição de vacinas, principalmente nos municípios mais distantes.

O presidente da Agência Goiana de Defesa Agropecuária – Agrodefesa, José Manoel Caixeta, afirma que a campanha não sofrerá nenhum prejuízo, devendo atingir o índice próximo de 100% de imunização de todo o rebanho bovino e bubalino superior a 22 milhões de cabeças. Até a tarde de quinta-feira (7/6) o percentual já alcançava 90,84%. Em todo o Estado, os fiscais e técnicos da Agrodefesa fazem monitoramento e orientam os produtores para a questão do prazo. Os criadores que deixarem de vacinar os animais estão sujeitos a multa de R$ 7,00 por cabeça de animal não vacinado e de R$ 60,00 pela não entrega da declaração..

Após a vacinação, o passo seguinte é a entrega da declaração à Agrodefesa. Isso pode ser feito on line, no capítulo Declaração de Vacinação, no site da Agência (www.agrodefesa.go.gov.br). Outra alternativa é a entrega física nos escritórios dos municípios onde se localizam as propriedades, ou nas unidades do Vapt Vupt. Neste caso, o produtor precisa apresentar a declaração no modelo disponibilizado pela Agência, além de cópia da Nota Fiscal de compra das vacinas. O prazo para a entrega, tanto on line quanto físico, termina dia 22 de junho.

Vacina contra raiva

Em 121 municípios de Goiás considerados de alto risco para a raiva dos herbívoros, os criadores precisam vacinar também os caprinos, ovinos e equídeos contra a doença, conforme estabelece a Instrução Normativa número 02/2017 da Agrodefesa. Da mesma forma, os produtores devem entregar a declaração de imunização contra a raiva e quem deixar de vacinar está sujeito à cobrança de R$ 7,00 por cabeça de animal não vacinado. A lista dos 121 municípios e outras informações estão disponíveis no site da Agrodefesa.

O presidente da Agência, José Caixeta, explica que em todo o processo o Governo Estadual atua em sintonia com os produtores e esse esforço tem como objetivo assegurar a sanidade do rebanho, que é a garantia para a continuidade da boa aceitação dos produtos goianos nos mercados nacional e externo. Caixeta lembrou que este ano o Brasil conquistou o título de país livre de aftosa com vacinação. A certificação foi entregue ao governo brasileiro pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), em evento realizado na França. “Agora temos de avançar para conquistar o título de país livre de aftosa sem vacinação”, asseverou o dirigente da Agrodefesa. O Brasil detém hoje o maior rebanho bovino comercial do mundo, com mais de 218 milhões de cabeças.

Assessoria de Comunicação Agrodefesa  - 3201-3546

Open Modal

Palácio Pedro Ludovico Teixeira, Rua 82, Nº 400, 4º Andar Setor Central, Goiânia – GO 74015-908

© Copyright 2014. Todos os direitos reservados. Desenvolvido pela Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento